Uma Forester XT de Família

Mauricio_Oliveira-2015August245-206A Subaru foi uma das marcas pioneiras na introdução do conceito “crossover”, misturando as caracteristicas de dois ou mais gêneros automotivos em um só modelo. Enquanto a maioria das montadoras corria atrás da tendência de crossovers em meados dos anos 2000, a Forester foi lançada em 1997 e aliava a pegada fora de estrada dos SUV com a dinâmica de um carro de passeio refinado, tudo reunido sob as formas de uma perua um pouco mais encorpada que a maioria, o que evocava ao modelo uma aura de veículo familiar. Porém, quando nos referimos à essa Forester XT 2008 de carroceria negra que ilustra esse post, a expressão carro de família ganha outro significado…

(Text in english avaiable, keep reading!)

Subaru was one of the first brands to move into the crossover concept, mixing the characteristics of two or more automotive genres in one model. While most automakers ran behind the crossover trend in the mid-2000s, the Forester was launched in 1997 and combined the spirit of an SUV with the dynamics of a refined car, all gathered in a big station wagon forms which evoked ta familiar vehicle aura to the model. However, when we refer to this black body Forester XT 2008 that illustrates this post, the “family car” expression have another meaning …

Mauricio_Oliveira-2015August245-153O projeto dessa Forester é fruto da parceria entre Jorge (o pai) e German (o filho), que juntos colocaram em prática o seus conceitos sobre o que viria a ser o carro ideal, com dirigibilidade aprimorada e uma mecânica forte, porém sólida e confiável. Em meio à essa jornada, contaram com o toque especial de um preparador com a sensibilidade necessária para reunir os diversos elementos que o compõem em um só pacote.

The project of this Forester is the result of a partnership between Jorge (the father) and German (the son), which together put their ideas about what would be the ideal car into practice, searching for improved handling and a strong, solid and reliable mechanical setup. In the midst of this journey, they had the special touch a tuner with the sensitivity necessary to bring together the various elements that make it up in one package.

Mauricio_Oliveira-2015July240-126 Mauricio_Oliveira-2015July240-177O toque especial fica a cargo de André Lira e da equipe da Racing BOX, que durante o processo se tornaram mais do que mecânicos aos olhos dos proprietários e que cuidam da Forester como se fossem parte da família. O resultado é um carro impecável, onde as modificações mais parecem ter saído como itens de série em uma alternativa brasileira ainda mais potente que a Forester STI da mesma geração, que foi comercializada no Japão e Reino Unido.

The tuner in question is André Lira and his team of Racing BOX, which during the process have become more than mechanics only to the eyes of owners and who look after the Forester as if they were part of the family. The result is an impeccable car, where more changes seem to have come as OEM items in a Brazilian special edition even more powerful than the Forester STI of the same generation, which has been sold in Japan and UK.

Mauricio_Oliveira-2015July240-224-EditPara entender o porquê da Forester ser uma opção tão interessante, vale uma pincelada de história: Em 1997, a primeira geração nasceu em uma plataforma baseada na do Impreza e em 2002, quando a Subaru renovou o modelo, essa característica se repetiu. Isso permitia que a Forester mantivesse as dimensões próximas ao de um SUV, mas mantendo a maior parte do seus aproximados 1.500 kg (o Impreza da mesma época tinha aproximadamente 100 kg à menos) em posição mais baixa possível, o que deixava as suas caracteristicas dinâmicas longe de serem comparadas com a média dos ditos utilitários esportivos. A versão XT trazia o mesmo motor do Impreza WRX, o EJ255, e nos modelos fabricados a partir de 2006 (já com a aparência renovada através de um facelift) chegava às concessionárias brasileiras com saudáveis 230 cv à 5.600 rpm e 32,65 kgfm de torque à 3.600 rpm, orquestrados pelo câmbio automático de quatro marchas com modo sequêncial na alavanca e pela tração integral Symmetrical AWD, caracteristica dos modelos da marca da plêiade.

Going back in time, In 1997 the first generation Forester was born on an Impreza-based platform and in 2002, when Subaru renewed the model, this fact was repeated. This allowed the Forester keep the dimensions close to an SUV, but keeping most of its approximate 1500 kg (Imprezas of the same period was about 100 kg less) in its lowest position, leaving its dynamic characteristics far from being compared to the average of the so-called SUVs. The XT version featured the same engine as the Impreza WRX, the EJ255, and models made from 2006 (already with renewed appearance through a facelift) came to Brazil with healthy 230 hp at 5,600 rpm and 32.65 Nm of torque at 3,600 rpm, orchestrated by the automatic four speed transmission with sequential mode and the Symmetrical AWD characteristic of the brand.

Mauricio_Oliveira-2015August245-160Mauricio_Oliveira-2015August245-227Mauricio_Oliveira-2015August245-154Mauricio_Oliveira-2015August245-315Agora, junte uma base tão propícia quanto essa aos proprietários entusiastas que são Jorge e German, e temos um resultado espetacular, fruto de diversos upgrades pontuais. Note na foto do cofre do motor como tudo parece original de fábrica, porém um olhar mais atento logo vai notar uma ou outra alteração: Short ram K&N, radiador Mishimoto, uma barra anti-torção em titânio da japonesa Ganador (item raro mundo afora)… Essa parte visivel aos olhos, no entanto, não entrega todo o potencial da Forester, que teve a turbina original e o intercooler top mount substituidos por itens de um STI 2012. O escape é da Invidia, mesma fabricante do downpipe que conta com um catalisador de alto fluxo. O carro agora roda abastecido com etanol, utilizando bicos Injector Dynamicse uma bomba Deatschwerks com o acerto feito pela EJ Performance. A potência estimada gira em torno de 350 a 380 cv.

Now, add a base as favorable like this with the enthusiasts owners who are Jorge and German and we have a spectacular result, which came in a number of targeted upgrades. Note in the photo how the engine bay appears to be just left from the factory, but a closer look will soon notice some non OEM change: Short ram K&N, Mishimoto radiator, an anti-torsion bar in titanium from Ganador (japanese item)… That part visible to the eye, however, does not deliver the full potential of Forester, who had the original turbine and the top mount intercooler replaced by items of an STI 2012. The escape is from Invidia, same manufacturer of the catted downpipe. The car now runs ethanol, using Injector Dynamics and Deatschwerks items. The injection map has been made by EJ Performance, brazilian partners from Delicious Tuning in the US. The estimated power is around 350-380 hp.

Mauricio_Oliveira-2015August245-233 Mauricio_Oliveira-2015August245-299 Mauricio_Oliveira-2015August245-41 Mauricio_Oliveira-2015July240-81-Edit Pela grade dianteira podemos ver mais dois sinais do processo de intervenção pelo qual a Forester passou, são eles os radiadores de óleo do motor e do câmbio automático da Mishimoto, esse último monitorado por um manômetro Defí próximo à coluna A do lado do motorista. A instalação do radiador dedicado para a transmissão é justificada por uma modificação que torna o uso do modo sequêncial mais frequente e que vai deixar outros proprietários de Forester com a pulga atrás da orelha: A equipe da Racing BOX instalou borboletas Lotse New Step ligadas ao chicote original do carro, e agora as trocas de marcha são orquestradas junto ao volante. O tempo de resposta é totalmente satisfatório e o acabamento, para variar, é sóbrio e não deixa vestigios de adaptação para os desavisados.

Through the front grille we can see two signs of the intervention process by which the Forester has passed, they are two radiators for engine and automatic transmission fluids, all Mishimoto items. The transmission temp is monitored by a Defi gauge next to the column A on the driver’s side. The radiator dedicated for transmission is justified by a modification that makes the use of sequential mode most frequent, and that will leave other Forester owners curious: Racing BOX has installed paddleshifts called New Steps, made by the brazilian company Lotse. Now the gear changes are orchestrated by the steering wheel, an feature that doesn’t comes OEM on brazilian models. The response time for changes is completely satisfactory and the finish, is sober and leaves no traces of adaptation for the unwary.

Mauricio_Oliveira-2015August245-17Mauricio_Oliveira-2015August245-259Vista de perfil, a Forester não consegue disfarçar tanto assim suas intenções: Jorge e German recorreram à paulistana Street Solutions e providenciaram um kit completo do que os americanos chamam de “Big Brake Kit” composto por pinças Brembo Gold – originalmente, a escolha da Subaru para equipar os STI da geração GD – pastilhas Stoptech e discos R1 Concepts que preenchem praticamente todo o espaço livre nas rodas Rota Grid 18×8,5 pol pintadas em um tom escolhido por Jorge que passeia entre o azul e o roxo, e para os mais fanáticos pelo universo JDM evocam o visual das Volk TE37 com acabamento Magnesium Blue.
A suspensão utiliza molas Tein de WRX, com amortecedores dianteiros também de WRX e os traseiros originais da Forester retrabalhados pela Fênix. Um leve lift foi providenciado pela Racing BOX, pois após a montagem do conjunto o carro ficou muito baixo. Com o problema corrigido, a Forester tem uma altura que não compromete seu uso de forma alguma ao passo em que dispõe de muito chão, com a suspensão firme para lidar com a cavalaria sob o pé direito do condutor e ao mesmo tempo complacente com as ruas e avenidas da capital paulistana, seu habitat natural.

Viewed by profile, the Forester can’t disguise his intentions that much: Jorge and Germany resorted to São Paulo based Street Solutions shop and provided a complete kit of Big Brake Kit consists of Brembo Gold calipers, Stoptech pads and R1 Concepts discs that fill almost all the free space on Rota Grid 18×8,5 wheels, painted in a chosen tone by Jorge that evoke the look of Volk TE37 finished in Magnesium Blue, an JDM icon.
The suspension uses WRX Tein springs with front dampers also WRX itens. On the rear, the original itens has been reworked by Fênix, an brazilian suspension shop. A slight lift was provided by Racing BOX, because after the assembly the car was set too low. With the problem fixed, the Forester has a height that does not compromise its use in any way with the terrible streets and avenues of São Paulo city, its natural habitat.

Mauricio_Oliveira-2015August245-200 Mauricio_Oliveira-2015August245-7Durante a sessão de fotos que realizamos nas imediações da represa de Guarapiranga, próxima à Racing BOX, ficou claro em uma conversa com Jorge e German que as premissas para o projeto foram alcançadas e algumas espectativas foram até superadas. A intenção de ambos não era criar um carro para uso em pista que pudesse se dar ao luxo de relegar acabamento e outros pontos ao segundo plano, nem montar um projeto “tudo que dá” e acabar limitando o uso do veículo, mas sim potencializar os pontos fortes do chassi SG9 (código dessa geração), melhorando os atributos originais na busca por um carro que transmitisse prazer ao volante nas ruas e estradas, onde a Forester tem se mostrado capaz de deixar muita gente grande pra trás. Nas palavras dos dois, foi primordial nessa jornada a participação do preparador André Lira, que soube interpretar as vontades de pai e filho e encontrou a melhor forma de se alcançar o resultado pretendido sem tentar “reinventar a roda” em meio ao processo.

During the photo shoot, it became clear in a conversation with Jorge and German that the premises for the project have been achieved and even some expectations have been exceeded. The intention of both was not to create a car for use on the track or built a car with all the parts possible, ending up limiting the use of the vehicle. The focus here was enhance the strengths of SG9 chassis, improving the original attributes in a search for a car that convey pleasure driving on streets and roads, where the Forester has been shown to leave a lot of great cars behind. In the words of two, it was essential in this journey the participation of André Lira, who knew how to interpret the wills of father and son and found the best way to achieve the desired result without trying to “reinvent the wheel” in the midst of the process.

Mauricio_Oliveira-2015August245-8 Mauricio_Oliveira-2015August245-72 Mauricio_Oliveira-2015August245-285-Edit

Como mencionamos acima, a potência não foi aferida e vale lembrar que números não eram a meta principal do projeto, mas sim o resultado do conjunto como um todo e, após andar no carro com Jorge ao volante, nós podemos conferir o quanto essa Forester puxa bem. Qualquer pisada no acelerador já nos leva a deixar os novos – e polêmicos – limites de velocidade de São Paulo para trás, o corpo grudado no banco tenta assimilar todo aquele empuxo quando um toque na borboleta da direita sobe mais uma marcha… Tudo embalado pela trilha sonora da blow-off Blitz.

As mentioned above, the power was not measured yet and remember that numbers were not the main goal of the project, but after riding in the car with Jorge at the wheel we can check how much that Forester goes. Any step on the gas already leads us to let the new – and controversial – speed limits of São Paulo back, the body stuck in the seat tries to assimilate all that thrust when a touch on the right paddle shifts up the gear… all with the soundtrack of an Blitz BOV.

Mauricio_Oliveira-2015August245-219 Mauricio_Oliveira-2015August245-67Como sempre, um projeto nunca está terminado e algumas novidades podem aparecer no futuro dessa belissima Forester, mas nada que vá alterar a sua essência já estabelecida. Por hora, Jorge e German estão curtindo a sua criação por aí e você que leu esse post pode até pensar que não irá se surpreender ao cruzar com eles no trânsito mas acredite, você irá! Aos que desconhecem a história da Forester negra, esses conhecerão o seu potencial de maneira traumática, pois muito provavelmente não esperariam tamanho desempenho de um “utilitário” como esse… Quem vê cara não vê coração, e o ronco do motor boxer, nessa hora, será a única pista para descobrir o que foi que acabou de acontecer bem diante de seus olhos…

As always, a project is never finished and some new features may appear in the future of this Forester, but nothing that going to change the essence of the car. For now, Jorge and German are enjoying their creation out there and who read this post might even think that will not be surprised to come across them on the streets, but we believe that they will! To those who are unaware of the history of black Forester, they will know their potential in a traumatic way, because most likely would not expect this level of performance from an “utilitary” like this … To them, the boxer engine roar will be the only clue to find out what was just happened right before their eyes…

Até a próxima amigos! Thanks for the read!

Thiago Marinelli
Fotos: Mauricio Oliveira

Racing BOX no Facebook

Anúncios

Um comentário sobre “Uma Forester XT de Família

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s