D1 Street Legal em Meihan: Como foi Encarar o Drift de Perto Pela Primeira Vez, Através do Olhar e das Palavras de Nick Nagano

DKSG 1

Olá a todos os camaradas leitores do Final Spec! Primeiramente, devo deixar minha apresentação e o porquê de eu estar escrevendo aqui, afinal, muitos de vocês não me conhecem e não sabem como de que toca eu saí… Pois bem, meu nome é Nickson Shigeo Nagano (Nick Nagano), nascido em Hamamatsu, provincia de Shizuoka, há 20 anos atrás. Apesar do lugar de nascença, sou considerado brasileiro – por ser filho deles, enquanto que a descendência nipônica vem por parte de pai. “Então você é um macaco velho do nosso querido e culturalmente rico Japão, certo?”, errado. Eu nasci aqui, mas por meus pais serem “dekasseguis”, não estavam aqui com intenção de morar para sempre e acabaram voltando para o Brasil. Com apenas 8 anos de vida, provavelmente não me deixariam aqui sozinho, né?

Mas passou-se mais de 10 anos desde então e decidi o que queria pra mim e pra minha vida. Faz muito que falava para os colegas, conhecidos mais próximos e família: “Não quero continuar sonhando aqui, mesmo se eu fosse rico ou com milhões de graduações em N universidades e ganhando muito dinheiro. Meu sonho não está aqui e em breve, muito em breve, estarei voltando pra lá. Não me sinto feliz no Brasil e vou fazer acontecer no Japão.” Dito e feito. Ao perder uns 30 segundos do seu tempo lendo até aqui, você provavelmente deve estar pensando o que me fez voltar pra terra do Sol Nascente. Por este texto ter sido publicado aqui, no Final Spec, já dá pra ter uma ideia do que seja, né?

(C) Nick Nagano

(C) Nick Nagano

Leitores, eu sou um de vocês! Tão viciado quanto vocês. Estou querendo fazer parte dessa droga já faz tempo. Desde criancinha, meu sonho sempre foi ter um carro e vivenciar o esporte praticado por eles. E é aí que entra uma das minhas maiores paixões da minha vida: o automobilismo. Eu sei, muitos querem fazer parte da elite, mas o fato é que nem todos conseguem. O mundo está cheio de apaixonados, de projetos e ideias fantásticas – e é por isso que nunca irei largar mão dessa paixão, virando piloto profissional ou não. Agora, iniciando o pontapé do principal objetivo do texto, é o seguinte: pouco antes da minha vinda ao Japão, comecei a ter contatos estreitos com um maluco que, praticamente, está fazendo de tudo um pouco do que eu adoraria fazer pela metade nesse país. Adivinhem só de quem se trata? Sim, o Felipe Massayuki, o fundador desse site e do projeto Dekasegi Racing. Ao longo de toda essas nossas conversas, quando finalmente cheguei ao Japão, fui convidado pelo mesmo para assistir a etapa da prestigiada D1 Street Legal no circuito de Meihan, da região de Mie.

(C) Nick Nagano

(C) Nick Nagano

Eu falo que amo automobilismo, e isso inclui, obviamente, o drift. Há 6, 7 anos atrás, estava eu pesquisando vídeos da D1 Grand Prix pelo Youtube, vendo aquele monte de AE86, Silvia, RX-7… e a tocada de pilotos como Ken Nomura, Masato Kawabata, Tsuyoshi Tezuka e o então falecido Atsugi Kuroi. Incrível como o tempo passa. Achava aquilo tudo incrível e falava várias vezes que, não por querer fazer parte deles, mas só de vê-los de perto, já estaria satisfeito. Quando o Felipe automaticamente me convidou para assistir ao lado de sua trupe a D1 Street Legal, não deu outra. Eu nunca tinha visto aquilo de perto, ao vivo, mas era minha paixão mesmo assim.

(C) Nick Nagano / Hiroyuki Yasue

(C) Nick Nagano / Hiroyuki Yasue

(C) Nick Nagano

(C) Nick Nagano

Antes de explicar como foi tal experiência, preciso explicar um pouco à vocês do que se trata essa “D1 Street Legal”. Pelo nome já dá pra ter uma ideia, mas é praticamente a versão “B” da D1 Grand Prix, onde não há tantas restrições e o nível não é o profissional dito (apesar de que há algumas figuras da GP andando na SL e vice-versa), incluindo seus projetos automotivos. A organização (inclua a narração de Manabu Suzuki aqui e mais outros nomes mais importantes) é sempre a mesma que gere a categoria “A”, e a criação da Street Legal aconteceu em 2006, quando, naquela época, a GP já estava subindo de nível como nunca. bem mais simples que aquilo que foi visto pelo Felipe há meses atrás, em Suzuka…

(C) Nick Nagano

(C) Nick Nagano

(C) Nick Nagano / Unico RX-7 presente como participante do dia. Por curiosidade, ele também corre na D1GP.

(C) Nick Nagano / Unico RX-7 presente como participante do dia. Por curiosidade, ele também corre na D1GP.

Estou atualmente morando em Toyohashi, na província de Aichi (o Felipe mora em Iga, Mie), mas a distância não impediu nossos planos. Apesar de ter acabado de chegar no Japão e estar sem um tostão (por ter acabado de arrumar o emprego, era primeiro mês e entrei no meio, resultando em um baixíssimo salário que só deu pra comprar comida) ele veio me buscar, na maior gentileza que eu já vi de alguém aqui nesse Japão…

NN (31)

(C) Nick Nagano

A viagem foi longa. A programação era assistir além da parte principal (o torneio com as batalhas em dupla), era assistir também o primeiro dia de qualificações. Mas infelizmente não deu por causa disso mesmo, a viagem foi tão longa que erramos o caminho e tivemos que gastar mais uma horinha até chegar lá, em Iga. Já pelas áreas, sem chance de ir para o circuito no sábado, o Felipe aproveitou para me apresentar dois brasileiros que, se caso você, leitor, venha dar uma passeada por aqui no Japão, deverá respeitar até o último segundo da conversa. O Silvio Costa e o Massayuki “Chris” Ozai, Esses caras são duas personalidades que encaram o drift aqui do Japão há mais de 10 anos apenas como hobby (por isso você provavelmente nunca ouviu falar deles, pois estão sempre no underground), e estão ajudando o Felipe nesse sonho automotivo em partes. Ah, pra não ter que mostrar vídeo dos dois ativos, ambos possuem licença para competir em eventos de médio porte da D1SL e da Drift Muscle, este último campeonato, nascido do desafeto de Keiichi Tsuchiya e Daijiro Inada com a organização da D1 Grand Prix, da qual se retiraram em 2011.

(C) Silvio Costa / HUEHUEHUE

(C) Silvio Costa / HUEHUEHUE

Todos eles, incluindo o Felipe, com a Dekasegi Racing, não estavam como qualquer um no evento em Meihan, e foram como mecânicos e staffs. O carro “alvo” era da piloto Shihoko Nakatsuka, da categoria Ladies League (criada no campeonato exclusivamente para as mulheres, que mandam muita bota, até mais que muito marmanjo por aí). O carro? Silvia S14 “zenki”, simples, mas bem montado. Um dos meus maiores sonhos aqui nesse Japão. A equipe que estavam no suporte era a N-Body e a TAKA, patrocinador responsável pela decoração dos carros. Além da Shihoko, tinha mais dois carros inscritos pela equipe. Logo mais falo deles…

DKSG 2

(C) Felipe Massayuki / Diretamente de dentro da pista, lá estava Felipe como um dos mecânicos responsáveis pela manutenção do S14 da Shihoko

(C) Nick Nagano / Descrição: Shihoko Nagatsuka, o alvo da Dekasegi Racing

(C) Nick Nagano / Shihoko Nagatsuka, o alvo da Dekasegi Racing

(C) Felipe Massayuki / Nagai, Yokota e Shihoko

(C) Felipe Massayuki / Nagai, Yokota e Shihoko

Você já ouviu falar de Meihan com certeza. O circuito, apesar de ser pequeno, não é tão simples de ser domado. Familiarizei (calma! Não andei de carro na pista! Apenas familiarizei de vista) assim que cheguei, pois antes disso tudo, eram algumas horas acumuladas no Youtube vendo passagens por lá. Minha curva favorita é logo após a retinha dos boxes. Dali você tira ângulos incríveis, que dão até impressão de que o carro está em 90 graus no drift (o que é possível, mas difícil). Se você é admirador da cultura do drift, já ouviu falar de lá e também do rei daquele circuito: Naoki Nakamura, um cara meio porra louca, que já deu de cara com a policia e que vive a insanidade no mundo da preparação e do drift. O Felipe certamente era desses fanáticos antes de vim pra cá, e quando ele teve a oportunidade de conhecer um desses de perto, não teve outra reação: “isso está acontecendo mesmo? Estou cara-a-cara com esses projetos loucos que eu sempre vi pela internet e sempre quis vivenciar de perto?” Sim, está acontecendo, tanto que já se acostumou. Dentro do evento, éramos vizinhos da equipe do… Naoki! No meu caso, que estava como “penetra” no stand da N-Body, ter visto-o parado e passando por ali perto foi uma honra. Não ia deixá-lo escapar para um pequeno autografo, de jeito nenhum…

NN (48)

(C) Nick Nagano / Naoki Nakamura and Miki’s S13

Ali foi despertada minha primeira curiosidade do dia: o Naoki não está participando do campeonato como piloto. Ele foi campeão da Street Legal em 2009, 2010 e em 2014. Ele estava apenas como mecânico de um dos carros da ORIGIN Labo. e no suporte de um monstro do drift entre as mulheres: Miki Yabuuchi – que pra já despertar uma boa curiosidade, foi a única do evento que além de participar da Ladies League, participou também da classe principal, com a “macharada”, nessa belezinha de baixo aqui.

NN (54)

(C) Nick Nagano

NN (53)

(C) Nick Nagano

NN (9)

(C) Nick Nagano / Miki Yabuuchi

NN (13)

(C) Nick Nagano / Miki Yabuuchi

Diferente do Felipe, que estava mais como mecânico, membro fixo da equipe e totalmente concentrado no S14 (sem oportunidade de fazer uma cobertura completa), eu estava muito mais alucinado por tudo aquilo como uma fã num show do Justin Biba. E é muito, mas muito óbvio que isso ia acontecer, afinal, é a minha paixão e nunca tinha visto de perto, nem quando fui criança aqui no Japão. Momento por momento, passava de fininho nos boxes pra ver os outros carros. Se tinha pilotos familiares por perto, tentava trocar ideia com simples palavras do meu nihongo porco ou ao menos arrancar um autografo em um poster exclusivo da TAKA que o Chris me deu. Um outro exemplo que passou por essa situação foi Masato Kawabata (!!!), me arrepio só de escrever o nome desse maluco. O atual campeão da D1GP com aquele R35 mais louco ainda…

(C) Nick Nagano / Autografa essa porra aí, mito!

(C) Nick Nagano / Autografa essa porra aí, mito!

(C) Nick Nagano / ... E tire uma foto comigo!

(C) Nick Nagano / … E tire uma foto comigo!

Ele estava lá, acompanhando escondido, sem holofote e com uma aparência bem simples… com sapatos Crocs horrorosos! Um cara desse não precisa andar na Street Legal, você e meio mundo já sabe por quê. Ao que me lembro, Kawabata estava no suporte desse carro, um dos mais bem montados que eu vi lá:

NN (27)

(C) Nick Nagano / ZEUS Onevia

NN (50)

(C) Nick Nagano / ZEUS Onevia

NN (12)

(C) Nick Nagano / ZEUS Onevia

(C) Nick Nagano / ZEUS Onevia

(C) Nick Nagano / ZEUS Onevia

Mas acho que esse Onevia (frente do 180SX plugada em um chassi Silvia PS13, em sua maioria) da ZEUS não é tão ousado como o Silvia S13 V8 que estava no evento. Ouvi de tudo, entre SR20, 2JZ turbo do Supra nos JZX presentes (ou em S chassis!) e até o RB26 (ou era RB25, não lembro) do Skyline GT-R em S chassis também. Mas o azulzinho encantou, ronca muuuuito legal, e olha que não sou tão fã da variante (V8 em carros JDM).

NN (52)

(C) Nick Nagano / Silvia V8 rasgando a presença dos tradicionais SR20, RB e JZ.

Também necessito falar do carro da Saori Ishikawa, a Ringo, que levou a etapa dentro da Ladies League. Ela já veio aqui pro Brasil como juíza de uma das etapas da Podium Race, salvo engano. Mecanicamente não deu pra ter uma ideia do que se tratava o monstro que fez dela campeã dessa etapa, até porque sou leigo de tudo, mas foi muito engraçado ver o carro driftando com aquele par de “cílios” nos faróis. Eu e o Silvio rimos pra caramba da situação…

(C) Nick Nagano

(C) Nick Nagano

(C) Nick Nagano

(C) Nick Nagano

Fora os JZX100 do Team Ito Auto with Goodyear, decorados com patrocínio da Project U. Um deles é o líder atual da D1 Street Legal, mas não sei especificar qual deles. Vocês precisam ver esses carros de lado, a sinfonia é incrível.

(C) Nick Nagano / Os carros da Team Ito e um da Z.S.S

(C) Nick Nagano / Os carros da Team Ito e um da Z.S.S

(C) Nick Nagano

(C) Nick Nagano / Team Ito

(C) Nick Nagano / Team Ito

(C) Nick Nagano / Team Ito

(C) Nick Nagano

(C) Nick Nagano

(C) Nick Nagano

(C) Nick Nagano

(C) Nick Nagano

(C) Nick Nagano

E mais S chassis! Todos me chamaram atenção, além do Onevia vermelho, e do Silvia V8, esse aqui me chama a atenção pelo fato de me notificarem que o proprietário gastou 4 milhões só em preparação. Mas não posso duvidar, afinal, a grana que os caras investem pro drift é estratosférica, só não é algo que eu faria abaixo dos 30 anos. Isso pra mim é algo do nível da D1GP, por exemplo.

NN (23)

(C) Nick Nagano / S15 dos 4 milhões (oficina é a mesma do R32 do Mario Shimoda, D2 Motor@Works)

Outro que me chamou bastante a atenção foi o Sileighty da Nanami Tsukamoto. Aliás, não só o carro me chamou atenção, por ser minha variante favorita entre um Silvia e um 180SX e reproduzir meus personagens favoritos (Mako e Sayuki, do Initial D), como a piloto também me chamou atenção pela beleza e por ser… brasileira! Claro que eu fui trocar ideia, né?

(C) Nick Nagano / Nanami Tsukamoto

(C) Nick Nagano / Nanami Tsukamoto

(C) Nick Nagano / Nanami Tsukamoto

(C) Nick Nagano / Nanami Tsukamoto

(C) Nick Nagano / Nanami Tsukamoto

(C) Nick Nagano / Nanami Tsukamoto

Ela é meio que uma mulher que não deve muito ao país de origem, se é que vocês me entendem… Naturalizada brasileira, ela corre aqui no Japão não faz muito tempo, além de participação regular aqui na D1SL, também é vista no grip pela 86/BRZ Race Cup e Porsche Cup. A paixão pelo motorsport despertou depois da carreira de modelo, da qual ela tira o sustento de tudo isso. Fechou o pódio da Ladies League em terceiro…

Nanami Tsukamoto / Kyosho JKB Team

Nanami Tsukamoto / Kyosho JKB Team

Nanami Tsukamoto / Porsche Cup Asia

Nanami Tsukamoto / Porsche Cup Asia

Você está lendo tudo isso aqui e está achando fantástico. Mas sinto dizer a você que nem tudo é um mar de rosas. Primeiro, porque, uma vez que você envolve no motorsport, problemas irão aparecer de qualquer jeito. E foi isso que aconteceu com o S14 da Shihoko. A equipe teve uma boa dor de cabeça durante o evento por conta de uma falha nos braços da suspensão do carro, comprometendo o desempenho “de lado”. A sorte é que para o problema ser sanado de vez, foi arrumado um outro braço de um S15 que nem estava participando do torneio! Pra vocês verem como as pessoas desse país são humildes se tratando de situações assim. Mas, nem tudo é um mar de rosas, segundo, porque você pode falar por aí que ama o drift esporte e tal, que seu sonho é participar de um campeonato bem montado do tipo, que isso e aquilo, N motivos… Sequer lembro de como foi o andar da classificação do torneio, mas uma coisa acabou marcando não só a mim, como também o Felipe, o Silvio e o Chris. Ainda entre as Ladies League, Shihoko e Miki se enfrentaram. A primeira tentativa foi difícil para uma decisão, então foi posta que as duas andassem mais uma vez. Na segunda, uma se chocou com a outra e foi determinado que a Shihoko saísse vitoriosa do duelo. No entanto, a voz escandalosa de Manabu Suzuki ordenou, meio minuto depois, que ambas voltassem a correr normalmente, para uma terceira tentativa. Não entendi por quê daquilo ter acontecido, mas aí lembrei que não é – e infelizmente não vai ser, jamais – a primeira vez que algo do tipo acontece no drift, especialmente em campeonatos como este.

C) Nick Nagano / Z.S.S vs. Takumi Yokota (N-Body)

C) Nick Nagano / Z.S.S vs. Takumi Yokota (N-Body)

C) Nick Nagano

C) Nick Nagano

É por causa de coisas como essa que fazem muitas pessoas desanimarem do drift como esporte profissional e ficam pelo lado amador da coisa. Também são coisas como essas que me fazem crer o motivo da FIA (ou qualquer entidade automobilística) não considerar o drift como categoria oficial de automobilismo. A começar que drift não é corrida, e os vencedores são escolhidos por juízes após um duelo, causando desavenças ou incertezas se aquele cara merecia mesmo ter vencido. Ou o twin foi tão igualável, que as vezes não dá pra saber mesmo em decidir qual dos dois são vencedores. Enfim… Esse momento foi bastante tenso, mas o evento ainda estava rolando e eu estava admirando tudo aquilo.

(C) Silvio Costa / As meninas da D1 Ladies League

(C) Silvio Costa / As meninas da D1 Ladies League

Quando a D1LL acabou, era a vez da SL e onde passamos nossa maior parte do evento lá em cima na arquibancada, de pé mesmo, entre a galera, vendo twins perfeitos entre os pilotos. Sou grato a todos eles por terem providenciado esse show, espetáculo, magnifico. Estou exaltado, mas o Felipe me entende perfeitamente, afinal ele passou por isso quando chegou aqui no Japão.

(C) Nick Nagano / Miki Yabuuchi

(C) Nick Nagano / Miki Yabuuchi

Ter visto todos aqueles carros andando de lado… aliás, nem de lado precisava, só de estarem parados, com capô aberto, já me fizeram um fã realizado. Eu não falo nada de nihongo ainda, mas sinceramente, pra ser um desses loucos, não precisa. Pela face já dá pra expressar e perceber a paixão por aquilo tudo.

(C) Nick Nagano / Daisuke Hara's S15, Z.S.S Style

(C) Nick Nagano / Daisuke Hara’s S15, Z.S.S Style

Com o passar da D1SL, fui descobrindo quem são os pilotos, pois muitos deles eu não conhecia ou nunca ouvi falar. Descobri também que um dos maiores nomes da época de ouro da D1GP estava andando no campeonato menor. Adivinha quem é? Katsuhiro Ueo! Já ouviu falar dele? Não? Não tem problema, porque você já viu vídeo dele naquele AE86 de pouco mais de 160ps contra o Taniguchi ou o Nomura em 2003, por exemplo.

(C) Nick Nagano / Silvia S15 do Katsuhiro Ueo

(C) Nick Nagano / Silvia S15 do Katsuhiro Ueo

Katsuhiro Ueo e seu emblemático AE86, dupla campeã do D1GP em 2002

Katsuhiro Ueo e seu emblemático AE86, dupla campeã do D1GP em 2002

O tempo passa. Ueo não está mais na GP há décadas, voltou a correr agora, mas pela Street Legal e com um S15 montado por sua oficina, a Garage Sift, com a equipe Z.S.S. Ele foi segundo na etapa de Meihan, fruto de uma vasta experiência herdada dos anos 80 e 90, décadas em que o mundo respirava o drift pelas ruas e touges do Japão. E claro, fruto de seu talento mostrado aos fãs na época do Hachi-Roku da D1GP.

(C) Nick Nagano / Nagai's S13

(C) Nick Nagano / Nagai’s S13

(C) Nick Nagano / Nagai's S13

(C) Nick Nagano / Nagai’s S13

Dos membros da “casa” (mais precisamente vizinho), quem se deu melhor foi Toshiki Nagai, cara nova na Street Legal. Mandou muito bem durante o evento todo. Por curiosidade, peguei um autografo dele, e por mera curiosidade, também, esse é o primeiro autografo dele com pódio (terminou o evento em terceiro lugar). Acredito que obtive um autografo histórico, só acho…

(C) Nick Nagano / Obra prima de Toshiki Nagai com capô aberto

(C) Nick Nagano / Obra prima de Toshiki Nagai com capô aberto

(C) Nick Nagano / (Toshiki Nagai) Ele é feio pra caralho, mas o S13 é uma obra prima!

(C) Nick Nagano / (Toshiki Nagai) Ele é feio pra caralho, mas o S13 é uma obra prima!

E quem foi o vencedor da etapa? Foi esse cara, o Junya Ishikawa, que pilota um S14 “kouki”. Creio que seja a primeira vitória dele pela D1SL…

(C) Nick Nagano / Junya Ishikawa

(C) Nick Nagano / Junya Ishikawa

(C) Silvio Costa / Junya recebendo o troféu de vencedor (antes de ser jogado num rio fedido pra caralho)

(C) Silvio Costa / Junya recebendo o troféu de vencedor (antes de ser jogado num rio fedido pra caralho)

Ao final do evento, não pude de deixar de tirar uma foto com o Ueo e, claro, o Seimi Tanaka. Até agora não falei do Seimi, mas de pilotos da D1GP, era ele quem estava conosco, mais precisamente com a N-Body e a TAKA. Foi uma honra tê-lo conhecido, não por ser dos grandes da D1GP, mas também porque, de todos esses caras de alto escalão, ao lado dos “hobbiestas” Silvio e Chris, é o responsável por ajudar o Felipe no drift. Quando eu tiver meu S chassis, quero que ele me forneça pneus barateados, e além de dicas, pois não pretendo ficar de fora desse espetáculo.

NN (62)

(C) Nick Nagano / Pense num cara zoeira esse Seimi Tanaka

Pois bem, meus amigos. Deixei teclado no início do texto que, uma das minhas maiores motivações da volta ao Japão, foi essa minha paixão pelo motorsport. Não vai ser passado batido, e estou atualmente na luta de conseguir meu primeiro carro trabalhando em 6×1 em uma fábrica de alimentos de Toyokawa. Quando ele vai vir, eu não sei… Mas fora do drift, após uma overdose de Street Legal no dia 23 de agosto de 2015, ah não… não fico de fora, mesmo, seja por hobby ou por buscar algo a mais.

(C) Nick Nagano

(C) Nick Nagano

Acho que acabou por aqui. Foi meio que uma gentileza ter escrito esse texto aqui pelo Final Spec, ou um grande agradecimento ao Chris e o Silvio por terem me recebido tão bem lá em Mie e Felipe por ter me levado ao nosso primeiro rolê dentro da D1 Street Legal. Agradeço diversos, mas o primeiro que devo agradecer por isso, é ele.

Valeu, gordinho!

NN DKSG

A seguir, você pode curtir o resto da galeria. As fotos são por minha conta, pelo Felipe e também pelo Silvio. Da minha parte, peço desculpas por não ter usado uma câmera profissional, pois só me restou levar meu celular e o tablet para registrar os pixels…

(C) Nick Nagano / Takumi Yokota

(C) Nick Nagano / Takumi Yokota

(C) Nick Nagano / Takumi Yokota

(C) Nick Nagano / Takumi Yokota

(C) Nick Nagano

(C) Nick Nagano

(C) Nick Nagano

(C) Nick Nagano

(C) Nick Nagano

(C) Nick Nagano

(C) Nick Nagano

(C) Nick Nagano

(C) Nick Nagano / Interior do S14 zenki de Takumi Yokota

(C) Nick Nagano / Interior do S14 zenki de Takumi Yokota

“Quando irei aparecer aqui de novo?” Não sei, mas meu próximo evento do porte será o NISMO Festival, que acontecerá em novembro no lendário Fuji Speedway. Tentarei levar o Felipe, caso eu consiga insisti-lo…

Grande abraço a todos do Brasil!

Nick Nagano

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s